Pesadelo


Aprendo ali e acolá, coisas pequenas, me divirto com contendas sobre coisas ainda mais insignificantes. Nesse final de semana, por exemplo, fui ver um filme com o Alex e aproveitei pra ver o que geral achou do filme, acabei por apoiar alguns prós e contras do povo que se engajava.alice-through-the-looking-glass-poster-the-mad-hatter

Uma forma de dar pesadelos

Era o tema da discussão, um maluquinho(a) que vou chamar de Opinião lançou este desafio a milhões de internautas em volta do globo.

– Meu Deus, vendo o trailer na TV, me deu um nó na garganta! Quem decide transformar uma história tenebrosa num filme ainda mais tenebroso? A Disney deveria se envergonhar!

Nesse instante, como eu peguei a discussão pra mais de mês, várias respostas haviam sido deletadas da página pelos guardiões do site.

– Alguém não tem imaginação… – Clair manda finalmente um beijo & abraço na esperança que essa gente procure o que fazer.
– Testemunhando coisas assustadoras do conforto da poltrona pode ajudar as pessoas a entrar em acordo com as suas próprias experiências. Quero dizer que, o protagonista de uma estória inspira seus expectadores quando enfrenta seus medos. – Um pensamento de The Scoth.

– Seus filhos podem estar com medo, mas não tome isso como uma verdade universal que se aplica a todas as crianças do mundo.(…) O que você acha que vai acontecer com o seu filho quando ele for ver um filme de horror para adultos e ficar com medinho pois nem filme de criança ele via pois podia morrer de medo? Estou torcendo pra que ele seja o motivo de chacota do grupo. – Explicado mastigadinho por Jaice Boyalice-through-the-looking-glass

– Eu não posso acreditar que você decidiu OPINAR sobre esse filme com base num trailer. Você tem problemas. O filme é classificado para o público geral, procure saber mais. – último comentário de alguém lá fechando o bloco.

E o que acontece de verdade com as crianças? Algumas pessoas acham que até a idade de frequentarem a primeira série primaria algumas crianças tem dificuldade em diferenciar a realidade das projeções da televisão ou cinema e já chegaram a constatar que isso pode de fato ter graves ocorrências futuras, (carece de fonte – não achei nada que possa afirmar isso). cora11Não acreditava muito nisso antes de ver parte do filme “Caroline” com os meus filhos. Uma coisa mantenho, sou severamente contra a indagação de adultos à crianças se estão com medo da obra de arte, filme, pintura, COMIDA, etc… pois essa pergunta só tem 2 saídas: indução ou bullying.

Katarina ano passado chegou a me dizer que pareço com a bruxa do filme, perguntei à ela se estava receosa que talvez costurasse botões nos seus olhos e ela muita linda me disse que faço comidas gostosas como muffins, waffles e smoothie de manga igual a mãe da outra dimensão que no filme “Caroline” é uma bruxa. Wizard-of-Oz_704_0Essa não foi a primeira vez que a Katarina me comparou a uma bruxa de um filme, ela tinha feito a mesma coisa sobre a bruxa do Mágico de Oz, que na realidade é a professora da protagonista, e ao invés de se locomover com uma vassoura, a professora usa da bicicleta pra chegar ao rancho que a Dorothy mora. E foi exatamente aí que a Katarina me comparou dizendo que eu pedalo igual aquela professora que também não gosta de cachorros.

The_Wizard_of_Oz_Margaret_Hamilton_Judy_Garland_1939Caroline, Dorothy & Alice sao as heroínas com a qual a Katarina muito se identifica. Receio compreender bem mais afundo o que acontece com a minha filha, essas heroínas se aventuram numa outra dimensão, relatam casos concretos que viveram que pela lei natural não podem ser reais, mas como antecipei antes, são vividos e pertinentemente envolvem figuras comuns dos seus dia a dia.

“As mulheres tem mais pesadelos que homens, estudo mostra”

Datado de Jan., 2009. University of the West of England.

Publicado pela Science  News.

Os pesquisadores examinaram o material dos sonhos. O estudo centrou-se sobre o fato que as mulheres sofrem mais pesadelos que os homens. (Já era sabido e foi confirmado), conduzido pela Dr. Jennie Parker.

(…) Ela explica: “Iniciei a partir das minha próprias experiências, os meus pesadelos tinham dois temas correntes, (…)Através desse meu estudo a única coisa que posso afirmar categoricamente é que as mulheres em geral têm mais pesadelos que homens.running-scared-nightmare

Os participantes que encontramos pra a pesquisa foram preparados para repassar seus sonhos anteriores, contando com 100 mulheres e 93 homens, de 18 e 25 anos predominantemente. (…)Dividimos em três modalidades os pesadelos de mulheres: terríveis (perseguição ou perigo de vida), perda & confusão, .

(…) Os sonhos emblemáticos são particularmente significativos. As mulheres são mais capazes de relatar pesadelos sinistróides (não resisti) enquanto vemos uma espécie de barreira de capitar todo o conteúdo do sonho de um homem, mesmo que essa carga emocional e perturbadora seja sempre muito pequena em comparação a média entre as mulheres.(…)”

Mulheres são acossadas de terrores por todo dia e durante a noite os mesmos serão fortemente revisados. Eu acredito que isso vem se acumulando na historia da humanidade e quanto maior o drama for entendido pior vai ser essa “revisão” no sono.  Mas é claro, os pesadelos são byproduct do metabolismo, o que se ingere, a quantidade de açúcar alocada na alimentação do qual é ainda menos bem vinda no corpo feminino transformando não só a gordura em dobro em relação ao homem como também esse tal do metabolismo.

tumblr_nxeuuwqzFc1t5cokco1_500Sempre tive muitos pesadelos, eles me acompanharam a vida inteira, recentemente isso tem diminuído bastante, posso afirmar que depois que o Alex nasceu passei a dormir melhor, não quer dizer que eles cessaram mas são precisos em aparecer se eu me alimentar antes de cair no sono. Outra parada que achava que também fosse mais comum do que é. O caso é seleto pacas, não passando dos 8% de adultos que tem pesadelos, repetido em várias páginas de ciência acessíveis pela internet.

Na sexta feira anterior a visita ao cinema no sábado que fiz com o Alex e o amiguinho dele, tive um pesadelo terrível. O Sverre está como síndico do condomínio desde primavera e no sonho portanto atarefado estava no celular talvez falando com alguém coisas do trabalho ou com um outro morador. Essa imagem dele fazia o sonho em si ter uma carga de verossimilhança enorme (e essa é a parte boa), parece que o cérebro tem o poder de trair seu próprio dono, e essa não é a única das circunstancias, com memórias também. Simplesmente acreditamos nas verdades contadas pelo sonho no sonho, são só mentiras como em filmes, como uma arte, a arte do nosso inconsciente.

Voltando ao desfecho desse pesadelo de sexta retrasada, consegui avisar que o poco de água em frente a nossa entrada deveria estar cimentado, havia até uma espécie de cama de gato, com cintos industriais de borracha, pra proteger se alguma coisa caísse ou se perdesse. Fiquei a tomar conta do espaço caso as crianças chegassem com o perigo delas caírem ali. O Sverre estava com ódio e estava dando esporro em alguém o Selvvåg pelo telefone, o responsável dessa construtora do nosso condomínio estava à caminho. O buraco estaria numa espécie de canteiro de entrada,

Home Curb Appeal with Herbs
Front entrance of old house with patio & flower garden. House name sign of “The Cottage”, very inviting welcome

que na realidade não teria no meu apartamento, mas em outros do nosso conjunto. Olhei eu achava escuro, contei a cama de gato e as crianças começaram a chegar, primeiro a Katarina e outras meninas, depois Storm e finalmente o Alex. Reparei que lá em baixo era lava e não água, a cama de gato se reduzia, antes eram várias faixas, e agora só haviam 2 em cruz, o Alex veio correndo pra pular ali como se fosse uma piscina. O mundo parou, não ouvia mais sons de crianças, o meu coração palpitou, meu estômago subiu, isso não pode ser verdade. Acordei. Abri o olho antes do despertador do meu telefone tocar, fui ver o Alex, era o anti penúltimo dia na escola, era a última aula de natação dele, abracei o Sverre, depois do café conversei sobre segurança com o Alex, justamente o trabalho do Sverre com outros engenheiros.

Anúncios

Publicado por: This Leksus

Naturalmente carioca da gema. Levantei a bandeira da união dos estudantes em 1990. Depois que vi que a bandeira era tipo lilás, caí fora, mas mantive contatos do setor cultural aonde fui a curadora por 2 anos seguidos no periódico e da rádio interna. Essa mídia chegava à 2000 estudantes em 1992. Participei de cursos de pintura abstrata com Mollica (1947-2013) e desenho Modelo Vivo com Giancarlo Bonfanti na Escola de Artes Visuais do Parque Laje de 1987-1992 e em outros institutos de arte. Estudei na USU, UERJ & UFRJ, arquitetura e urbanismo, Educação artística & Figurino respectivamente. Meu primeiro projeto foi a fonte do Banco do Brasil com seu logotipo, nas dependências da Agencia I do Banco no Rio de Janeiro. Em 1995, cursei por um breve período a Escola Politécnica de Lisboa, aonde desenvolvi uma tese sobre o Manuelino. Muitas descobertas, e não parei de fazer cursos extras em outras grandes universidades cariocas. Senai Cetiqt, Universidade Candido Mendes, UIS (Noruega). Trabalhei com Alexandre Hercovich para Semana da Moda no Rio em 1997. Nos anos seguintes criei o cenário e costumes para a peça Frida Kahlo no Teatro do Museu do Catete. Nessa época comecei a trabalhar como Dj e me destaquei na área até 2010, quando decidi encerrar essa atividade e me dedicar a gravura & tradução. A partir de 2005, anualmente, faço instalações e exibições de pinturas, desenhos, edições de livros, mosaicos e gravuras. Em 2010 comecei a me infiltrar na área de tradução e interpretação, também como uma ação social. O que faz voltar intensamente para escrita e leitura, e me dispersar pra outras línguas, como dinamarquês, francês, italiano & espanhol.

Categorias análise, arte pop, diário, mórbido, pediátrico, universo femininoTags, , , , , , , , , , , , , , Deixe um comentário

Qual seria a sua perspectiva sobre esse assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s