Perseguida


Meu pai é mais uma vítima social, como voce, eu, nós todos somos todos os dias. É muito difícil pensar fora daquilo que esquematizam pra vc. Voce passa a ensinar aquilo que aprendeu, que incutiram na sua cabeça. É uma cadeia, uma teia, que se repete e justamente aqueles que conseguem enxergar a prisão nisso tudo são alvos de críticas quando não, de ódio,  por se incomodarem pela falta de liberdade. Ah, não seria tanto se não reclamassem. Não, esse pensamento é o seu tiro no próprio pé. Esquematizam (atente pra o sujeito oculto que só existe no português, evitando vc nem perguntar quem é o sujeito da frase), patrocinam toda essa máquina pra te cativar a gostar da prisão por um motivo: de usar e descartar voce sem que voce se queixe.

p-7686-Stray-Cats-Rumble-CDCOMO MENCIONEI ANTEs, EU NAMOREI UM CARA DE NITEROI QUE ESTUDAVA NA Puc do Rio. Ele era maneiro a beça, tocava guitarra, me apresentou bandas como o Kraftverk & Straycats. Encontrei com ele uns anos depois mas não era a mesma coisa. Um dia meu pai me falou com toda sinceridade: “você deveria namorar caras mais velhos”. Nada respondi e saí de casa, pois até namorava caras de 2/3 anos mais velhos que eu.

Ele repetiu um dia lá depois:

-Fala isso pro Gustavo! – Respira – Fale ao Gustavo que ELE deveria NAMORAR (no sentido de dar) com um CARA… VELHO.

Reclamando das minhas grosserias e eu discutindo infantilmente que quem havia iniciado era ele, pois era ele que havia requisitado essa situação com uma idéia ultra passada, ULTRA. Que tipo de gente se curva a tal sentença?!!!, eu o arguia. Acabei por pedir ajuda aos universitários¹. A minha mãe na defesa disse que o Claudio estava pra se formar em engenharia… Pouca cara boa meu pai fez, talvez meu pai achasse melhor alguém que ganhasse dinheiro sem ser formado… só que alguém que ganhe dinheiro sem ter estudo tem a probabilidade maior de estar ganhando de maneira ilícita, já que é tao difícil ganhar dinheiro mesmo estando preparado pra atuar no sistema.

Pela ausência de impacto a resposta sincera da minha mãe, meu irmão num lapso de cortesia se uniu a mim para que atuássemos num quadro que era um misto de Stephen King & Simpsons. Recitamos um dos poemas que a minha mae nos fez memorizar quando na idade do pré escolar, estáticos sem reflexo no olhar. Ela mesma havia se condicionada a reproduzir essa besteira ensinada pelo Instituto de Educação:

UM DIA meu pai ME DISSE,
COM TODA SINCERIDADE:
“MINHA FILHA NÃO SE CASE,
Ganhe sua MOCIDADE!” – parou aqui, valeu

MAS EU, QUE já TINHA DADO,
O MEU POBRE CORAÇÃO,
DISSE AO VELHO:
“ISTO é que NÃO!!!”

O VELHO tomado de raiva,
DE BRANCO FICOU AMARELO,
e CORREu ATRÁS DE MIM,
COM UMA VARA DE MARMELO.

Coitado do meu pai que deve ter ouvido “mocas devem se relacionar com homens mais velhos” no rádio. Vou ficar mesmo com “a rua” e os velhos que circulam no Santos Dumont. Será que estava adida da falácia de vantagens como: “homens mais velhos pagam pelo restaurantes as quartas”?

-Homens nao precisam ser bonitos.

-Pra mim, precisam. – Direcionando-me a outro lado da sala, o burocrático – Mae, precisamos falar sobre esses ataques barrocos² que o papai tem.

– Porta da rua, serventia da casa – ela respondeu ao meu pai.


 

A 5 anos atrás postei no “Feice” o ex-ministro Magri numa reportagem que coincide com o ano que passo o ato acima exposto. No artigo denunciavam-no por uma desculpa esfarrapada. Ele foi ministro do trabalho no governo Color, ele era ex-sindicalista. O malandro estava num congresso de líderes trabalhistas em Genebra para viabilizar o setor com empresários para o futuro. O ministro se engajava mais com sua namorada que havia ido com sua comitiva (a mulher dele continuava no endereço de Osasco). A reportagem afirmava que ele comprava jóias…
—————————————————
Carlos amigo do Löis Lancaster dividiu:

– Aliás, a era Collor foi um pesadelo colectivo, não é verdade? Dizem que foi a água contaminada, sei lá….
Flávia, havia um programa de rádio em Buenos Aires onde aparecia uma vinheta assim: “Fulana de tal, uma mulher perseguida pelo seu passado”, logo em seguida aparecia uma voz de mulher que dizia, exasperada: “Suéltame pasado, suéltame“…
A piada do passado que nos persegue está um pouco descontextualizado aqui. O que eu queria dizer, e não disse, que qualquer elemento – por mais insignificativo que seja – está sempre à espreita para nos reconduzir ao passado. Neste caso, uma foto do Magri!


A Marcela Temer é um símbolo que o programa portenho usaria mui bien.  Visualizá-la na revista Veja é mais uma inapropriada manifestação da mídia. Dá pra imaginar a esposa do vice-presidente escrevendo no seu querido diário no twitter com a data dislexicamente ajustada para o ano 1620. A Marcela, ali aonde ela está representa muito o que os governantes querem dizer pra o país e pra o resto do mundo. Que lá no Brasil as mulheres altas e loiras serão sempre agraciadas com fortunas monetárias. E homens poderosos serão agraciados com virgens imaturas (Marcelo Nova bem me disse³). Faca sua escolha cínica e a persiga sem escrúpulos.13001086_1068520506554011_4402436384122129673_n


obs 1: Perseguida é um bom nome para a vagina, a minha avó o usava, pois sua avó o usava também. Um nome discreto apesar de categoriza-lo como gíria.

obs 2: Cantiga de roda antiga. Como é que o pai que na primeira linha diz pra ela ganhar sua mocidade (pela internet um boa parte estava escrito GOZE sua mocidade) e depois ataca a garota violentamente com um pau? O marmelo é coisa de gente do interior já que no Rio essa árvore é inexistente. Marcela marmela!


¹) Retirado de um programa televisivo de perguntas e respostas, pra ajudar o concorrente  uma parcela coadjuvante do programa era questionada, eram os ditos: “universitários”.

²) Estilo que prevaleceu no século XVII.

³) Um roqueiro baiano arretado! Que cantava uma versão de um punk britânico o “Meu Primo Zé”.

Anúncios

Publicado por: This Leksus

Naturalmente carioca da gema. Levantei a bandeira da união dos estudantes em 1990. Depois que vi que a bandeira era tipo lilás, caí fora, mas mantive contatos do setor cultural aonde fui a curadora por 2 anos seguidos no periódico e da rádio interna. Essa mídia chegava à 2000 estudantes em 1992. Participei de cursos de pintura abstrata com Mollica (1947-2013) e desenho Modelo Vivo com Giancarlo Bonfanti na Escola de Artes Visuais do Parque Laje de 1987-1992 e em outros institutos de arte. Estudei na USU, UERJ & UFRJ, arquitetura e urbanismo, Educação artística & Figurino respectivamente. Meu primeiro projeto foi a fonte do Banco do Brasil com seu logotipo, nas dependências da Agencia I do Banco no Rio de Janeiro. Em 1995, cursei por um breve período a Escola Politécnica de Lisboa, aonde desenvolvi uma tese sobre o Manuelino. Muitas descobertas, e não parei de fazer cursos extras em outras grandes universidades cariocas. Senai Cetiqt, Universidade Candido Mendes, UIS (Noruega). Trabalhei com Alexandre Hercovich para Semana da Moda no Rio em 1997. Nos anos seguintes criei o cenário e costumes para a peça Frida Kahlo no Teatro do Museu do Catete. Nessa época comecei a trabalhar como Dj e me destaquei na área até 2010, quando decidi encerrar essa atividade e me dedicar a gravura & tradução. A partir de 2005, anualmente, faço instalações e exibições de pinturas, desenhos, edições de livros, mosaicos e gravuras. Em 2010 comecei a me infiltrar na área de tradução e interpretação, também como uma ação social. O que faz voltar intensamente para escrita e leitura, e me dispersar pra outras línguas, como dinamarquês, francês, italiano & espanhol.

Categorias análise, arte pop, memórias, pedagógico, politica, sociologico, universo femininoTags, , , , , , , , , , , , , 1 comentário

Um comentário sobre “Perseguida”

Qual seria a sua perspectiva sobre esse assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s