Eu odeio ter de ir a escola que meus filhos estudam


Hoje, segunda-feira, dia de Sao Patrício de 2014 foi mais uma visita amarga como tem sempre sido desde do dia 5 de outubro de 2012.

Um ano e meio tirado de um contato inigualável e controle mútuo que deve haver entre a instituição e a família estão por completo deteriorados.

– Mas o que houve?

menina estudando

Dessa vez, a professora substituta do Alex fez bastante questão de vir conversar com o Alex na minha presença. Como evito, o máximo que posso, pisar nesse edifício novamente, expus o caso do motivo da minha aparição nesse território hostil. “Vim pegar o Alex porque ele está doente”. Em resposta a professora comentou que o Alex está muito bom em inglês. Não sei porquê cargas d’águas ficou uns bons 15 minutos dando um sermão sobre a importância do inglês e automaticamente, desfazendo de qualquer outra língua. Infelizmente na seu marketing, ela incluía a cultura também. Calada permaneci, responderia caso ela se dirigisse a mim, de fato, quando silenciosos estamos, mais notados nos fazemos.

Ela tenta agilizar o número de habitantes somados em países mais simbólicos que tem como língua oficial o inglês, contabilizando um bilhão de pessoas – dito por ela.

–       … A Noruega e Portugal são pequenos, não são?

–       Portugal tem cerca de 11 milhões, é. Já o Brasil, somos 200 milhões. Há outros países.  – respondi a adenda querendo me pirulitar dali logo-logo.

Já havia mencionado essa importância para o Alex com o português, mas acho que ele é novo demais para entender esses números. A professora no entanto tem mais anos com o estudo da pedagogia e experiência direta com os pupilos então ela deveria entender melhor que essa quantidade estúpida de gente fica sendo uma informação muita abstrata para os pequeninos. Seria bom mesmo o sistema norueguês então abrir o olho para o estudo do mandarim, vocês não acham não?

imperialismo
Cartoon sobre o imperialimo britânico na Africa

Agora o que me chocou foi: “Será que história imperialista por trás da cultura da língua britânica passou pela cabeça dela?” Acredito que sim, porque ela é na verdade proveniente de um país africano, apesar que seu arquétipo é sem dúvida caucasiano & protestante.

“Todos os filmes são em inglês.” Vai ficar entalado comigo até eu ir visitar o teatro de Stavanger nesse final de semana.

Anúncios

Publicado por: This Leksus

Naturalmente carioca da gema. Levantei a bandeira da união dos estudantes em 1990. Depois que vi que a bandeira era tipo lilás, caí fora, mas mantive contatos do setor cultural aonde fui a curadora por 2 anos seguidos no periódico e da rádio interna. Essa mídia chegava à 2000 estudantes em 1992. Participei de cursos de pintura abstrata com Mollica (1947-2013) e desenho Modelo Vivo com Giancarlo Bonfanti na Escola de Artes Visuais do Parque Laje de 1987-1992 e em outros institutos de arte. Estudei na USU, UERJ & UFRJ, arquitetura e urbanismo, Educação artística & Figurino respectivamente. Meu primeiro projeto foi a fonte do Banco do Brasil com seu logotipo, nas dependências da Agencia I do Banco no Rio de Janeiro. Em 1995, cursei por um breve período a Escola Politécnica de Lisboa, aonde desenvolvi uma tese sobre o Manuelino. Muitas descobertas, e não parei de fazer cursos extras em outras grandes universidades cariocas. Senai Cetiqt, Universidade Candido Mendes, UIS (Noruega). Trabalhei com Alexandre Hercovich para Semana da Moda no Rio em 1997. Nos anos seguintes criei o cenário e costumes para a peça Frida Kahlo no Teatro do Museu do Catete. Nessa época comecei a trabalhar como Dj e me destaquei na área até 2010, quando decidi encerrar essa atividade e me dedicar a gravura & tradução. A partir de 2005, anualmente, faço instalações e exibições de pinturas, desenhos, edições de livros, mosaicos e gravuras. Em 2010 comecei a me infiltrar na área de tradução e interpretação, também como uma ação social. O que faz voltar intensamente para escrita e leitura, e me dispersar pra outras línguas, como dinamarquês, francês, italiano & espanhol.

Categorias diário, pedagógicoTags, , , , , , , , , , 3 Comentários

3 comentários sobre “Eu odeio ter de ir a escola que meus filhos estudam”

  1. Caraca Flávia, a escola nos moldes atuais é mais uma ferramenta pra manter o status quo, e o que passou na escola do Alex nada mais foi do que isso. Sinistro
    E o pior é que não precisa disso. A dominação inglesa/americana está aí de qualquer maneira e não precisa da contribuição tosca da escola,… mas é a vida,…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Depois eu conversei com a Katarina, e ía até por isso, mas deixei sem essa parte. A minha filha me falou que quando essa professora estava dando aula de artes pra turma dela, 2 meninas não paravam de brincar, ficar de papinhos, foram expulsas de sala. Fora de sala, aí mesmo que as garotas começaram a zoar muito no corredor. Veio a outra professora da sala ao lado e deu um exporro nessa professora que serve de curinga na escola pq. as garotas estavam agora atrapalhando aula dela.
    E ela tem muito sotaque. O problema do discurso dela não era ocasião e nem motivo para aquilo, pareceu um ataque indireto. Queria realmente negar isso, mas não dá, é uma coisa atrás da outra.

    Curtir

Qual seria a sua perspectiva sobre esse assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s