MUSEU de ARTE MODERNA Free Jazz


Estive em Bergen pela primeira vez em abril de 2010, o que daria um episódio a ser escrito. Um relevante título seria assim: “Um gato no porão da casa do bispo”. A aventura tá muito fresca, vou colocá-lo na gaveta e desenterrar uma história antiga.

Festival de Jazz no Museu de Arte Moderna de 1997. No dia anterior, encontrei a Lia na Lapa. Ela me contou que havia conhecido o Goldie durante o festival. Ele tirou todos os dentes normais e trocou por de ouro… Eu não tenho tempo de olhar na Wikipedia, isso descaracterizaria esse meu texto e acabaria por encher a minha cabeça de fofocas de peritos da mídia, deixando as minhas válidas memórias e emoções anuladas.

Já com a minha galera no festival fomos beber cerveja light, era o que era oferecido, era a novidade do momento. Um pouquinho depois, decidimos tentar uma fé nos quiosques.

O lugar estava super modificado. O famoso väo da entrada do museu estava repleto de tendas dos restaurantes mais elegantes do Rio na época. Havia muitas pessoas de terno, afinal de contas, estávamos no centro. Muitas pessoas vinham direto do trabalho para o festival. Este festival também incluía o tal do Indy rock.

mamMesmo com uma boa aparência, fomos ignorados de assistência nos quiosques. De repente, eis que surge uma van prata. Pula do furgao muitas mulheres altas, de cabelos compridos, turbinadas e ainda usando tanga & corpete, também de cor prata pra combinar com a cor do carro.

Houve-se um zumbido da multidao! Eu sinceramente sempre interpretei como uma zoacao. Elas abrem a mala da van e revelam sua verdadeira identidade: meninas-proletas-anunciaam-uma-bebida-energética. Com meu olhar agucado, descobri que as bebidas em promocao vinham acompanhados pelo escocês!

Sem o menor constrangimento, investi para ser a primeira cliente dessa birita gratuita. As meninas propagandistas do capitalismo em conserva, ou se quizerem, de um modelo chauvinista conservador, viraram-se para mim e disseram: 

– Essas bebidas são destinados aos clientes com maior poder aquisitivo.

– Espere, eles já têm o dinheiro para comprá-lo! – Eu argumentei.

Prosseguiram. Elas marcharam para os quiosques (com a maior cara de pau roubando cliente dos quiosques), para os homens de terno, procederam com um texto ridículo sobre as maravilhas de bebidas energéticas com álcool, segurando uma bandeja cheia de copos das tais bebidas.

Eu as segui, e como antes, fui ignorada pelos garçons. Os homens de terno subjulgaram a bebida. Contudo, peguei logo duas taças de maneira estúpida. As mecânicas mocas ficaram de boca aberta com a minha impulsiva inoportuna desobediência. O mais engraçado é que elas não conseguiram se mover pra me pegar de volta com as tacas porque seguravam a bandeja ainda cheia das bebidas. Ficaram estáticas, e por fim, sem qualquer outro remédio, me xingaram, fazendo entao, uma péssima imagem para a bebida energética que reclamavam. Patético.

Fui muito feliz nessa ocasiao. Espero que esta trabalhadora do markenting que se zangara comigo entenda que trabalhar com roupa que mostra o rabo nao iria levá-la muito longe. Meus amigos me suspenderam por alguns segundos, como uma forma de manifestação popular aos queridos. Agora mais que tudo, precisamos saber dividir, creio eu, para um final feliz e próspero. Não se venda tão barato.

Mas se você acha que perdeu tempo lendo essa colecao de frases, pense no pobre do meu marido que vive comigo e tem que ouvir diversas bobagens d’outra terra.

Anúncios

Publicado por: This Leksus

Naturalmente carioca da gema. Levantei a bandeira da união dos estudantes em 1990. Depois que vi que a bandeira era tipo lilás, caí fora, mas mantive contatos do setor cultural aonde fui a curadora por 2 anos seguidos no periódico e da rádio interna. Essa mídia chegava à 2000 estudantes em 1992. Participei de cursos de pintura abstrata com Mollica (1947-2013) e desenho Modelo Vivo com Giancarlo Bonfanti na Escola de Artes Visuais do Parque Laje de 1987-1992 e em outros institutos de arte. Estudei na USU, UERJ & UFRJ, arquitetura e urbanismo, Educação artística & Figurino respectivamente. Meu primeiro projeto foi a fonte do Banco do Brasil com seu logotipo, nas dependências da Agencia I do Banco no Rio de Janeiro. Em 1995, cursei por um breve período a Escola Politécnica de Lisboa, aonde desenvolvi uma tese sobre o Manuelino. Muitas descobertas, e não parei de fazer cursos extras em outras grandes universidades cariocas. Senai Cetiqt, Universidade Candido Mendes, UIS (Noruega). Trabalhei com Alexandre Hercovich para Semana da Moda no Rio em 1997. Nos anos seguintes criei o cenário e costumes para a peça Frida Kahlo no Teatro do Museu do Catete. Nessa época comecei a trabalhar como Dj e me destaquei na área até 2010, quando decidi encerrar essa atividade e me dedicar a gravura & tradução. A partir de 2005, anualmente, faço instalações e exibições de pinturas, desenhos, edições de livros, mosaicos e gravuras. Em 2010 comecei a me infiltrar na área de tradução e interpretação, também como uma ação social. O que faz voltar intensamente para escrita e leitura, e me dispersar pra outras línguas, como dinamarquês, francês, italiano & espanhol.

Categorias memóriasTags, , , , , , , , , , , , , , , , , , , 2 Comentários

2 comentários sobre “MUSEU de ARTE MODERNA Free Jazz”

  1. Oi, Liv.
    Gostei do seu nome. Aqui na Noruega é muito comum.

    Eu fui pra lá com intensao de ver o show mesmo. Isso foi na sexta que havia show do Kraftverk, cheguei meio sedo, mas já estava cheio de gente pra um happy hour.
    Eu me lembro também que no domingo eu fui ao shoping da Gávea e no restaurante japonês, na mesa do lado uma senhora já beirando seus cinquenta afirmou se fosse mais nova só iria pra lá pela azaracao 😦 e acescentou, que a música desse festival deveria ser um saco. Fechando com chave de ouro o meu final de semana.
    Rolava mesmo um lance muito forte assim naquela época, nao sei como é agora aí no Rio.

    Curtir

Qual seria a sua perspectiva sobre esse assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s